notícias

Juan Francisco Manzano no Brasil.

* * *

Manzano em áudiolivro

Saiu em 2019, pela TocaLivros, a versão em áudiolivro da Autobiografia do Poeta-Escravo, de Juan Francisco Manzano, narrada pelo ator Eduardo Silva (foto ao lado), com participação de Alex Castro. Para ouvir, pela web ou pelo app, você pode ou comprar o livro separadamente, ou fazer uma assinatura mensal da TocaLivros, com áudiolivros ilimitados por R$14,90 mensais.

* * *

Lula e Manzano

Presidente Lula, na cadeia, em 2019, com a Autobiografia do Poeta-Escravo.

Enquanto estava preso, em 2019, o Presidente Lula leu A Autobiografia do Poeta-Escravo , de Juan Francisco Manzano, e ainda posou para essa foto. Mais tarde, citou o texto em um discurso. (Clique na foto para ver em tamanho maior.)

* * *

PNLD 2018

Em 2018, A Autobiografia do Poeta-Escravo, de Juan Francisco Manzano, foi um dos livros selecionados para o PNLD Literário (Programa Nacional do Livro Didático) e 90 mil exemplares foram distribuídos para escolas públicas de todo o Brasil. (Aqui, um perfil sobre Manzano no Instagram, criado por pessoas alunas da Escola Estadual Padre João Bosco Penido Burnier, em Belo Horizonte, MG.)

* * *

Últimas publicações

* * *

Periódicos acadêmicos

Pozzi, Jéssica de Souza; Silva, Adriana Kerchner da. “Relatos reais, relatos sonhados: a marronagem de Juan Francisco Manzano e Maryse Condé.” Revista Communitas V.5, N.10 (Abril–Junho/2021)

Silva, Liliam Ramos da. “Estratégias cimarronas para narrar a negritude no século XIX em Autobiografía de Juan Francisco Manzano (Cuba, 1835) e Úrsula (Brasil, 1859).Cadernos de literatura comparada, No 43 – 12/2020 | 135-153.

Martins, José Endoença. “Racial and Textual Translation Through Signifyin(G) and Eshu: The Case of Juan Francisco Manzano’s Personal Narrative Autobiography of A Slave“. International Journal of Humanities and Social Science, Vol. 10, No. 10, Outubro 2020.

Silva, Adriana Kerchner da. Alex Castro e a tradução minorizante da Autobiografia do Poeta-Escravo, de Juan Francisco Manzano. Cadernos de Tradução, Porto Alegre, Número Especial, 2019.

Silva, Adriana Kerchner da. Juan Francisco Manzano e seus mediadores: relações desiguais e silenciamentos. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como requisito parcial para obtenção do título de Bacharel em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Orientadora, Profª Drª Liliam Ramos da Silva. Dezembro de 2018.

Silva, Liliam Ramos da. “A voz do protagonista afrodescendente em romances históricos hispano-americanos: invisibilidade do texto original e algumas (poucas) obras traduzidas no Brasil.Cadernos de Literatura em Tradução. São Paulo, n.16. p.73-88. Silva 88 Trab. Ling. Aplic., Campinas, n(57.1): 71-88, jan./abr. 2018.

Silva, Alexandra Lima da. “Folhas de ébano: (auto)biografias de escravizados e ensino de história.Revista História Hoje, v. 7, nº 14, p. 263-284, 2018.

Nuto, João Vianney Cavalcanti. “Vozes d’África: autoria e relações de poder em duas autobiografias de escravos.De volta ao futuro da língua portuguesa. Atas do V SIMELP-Simpósio Mundial de Estudos de Língua Portuguesa. 2017.

Silva, Liliam Ramos da. “Pode o tradutor falar? Uma análise da tradução da Autobiografia de Juan Francisco Manzano no Brasil sob a ótica dos Estudos Culturais.” Translatio. Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, n. 13, Junho de 2017

Bicalho, Gustavo de Oliveira. “Manzano, Juan Francisco. A Autobiografia do poeta-escravo. Organização e tradução de Alex Castro. São Paulo: Hedra, 2015.” [resenha] Em Tese Belo Horizonte, v.22, n.3, set.-dez. 2016, p.330-336.

Silva, Liliam Ramos da. “A Autobiografia do poeta-escravo, de Juan Francisco Manzano. Organização, tradução e notas de Alex Castro. São Paulo: Hedra, 2015. 223p.” Revista Mulemba, Revista do Setor de Letras Africanas de Língua Portuguesa – Departamento de Letras Vernáculas. Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Volume 14, número 2, jul-dez 2016, p. 145-148.

* * *

Jornal

Jornal do Commercio, Recife, PE. “O horror da escravidão contado além dos números.” Matéria de Diogo Guedes. 20 de novembro de 2015.

Jornal do Commercio, Recife, PE. “Um monólogo sobre a escravidão a espera de encenadores.” Matéria de Diogo Guedes. 20 de novembro de 2015.

O Liberal, Americana, SP. Caderno Cult. “Livro aborda igualdade racial. No mês da Consciência Negra, escritor e tradutor Alex Castro apresenta obra “A Autobiografia do Poeta Escravo”“. Matéria por Karina Pilotto. 3 de novembro de 2015.

O Globo, Rio de Janeiro, RJ. Prosa e Verso. “Vida e obra do poeta-escravo cubano Juan Francisco Manzano“. Matéria por Leonardo Cazes. 29 de agosto de 2015.

* * *

Revista

Época. Escravidão para inglês ver. Matéria de Juliana Cunha. 9 de outubro de 2015.

* * *

Periódico Digital

Revista Acrobata. As ambivalentes mães de Manzano e o projeto de modernização: a autobiografia de um filho escravizado, de Aristides Oliveira. 1 de junho de 2020.

Revista Pessoa. A autobiografia do poeta-escravo. 28 de agosto de 2015.

* * *

Blog

Musa rara. A palavra escrita como glória, por Elizabeth Ferreira Cavalcanti. 27 de novembro de 2015.

Quase sociopata. A autobiografia do poeta-escravo Juan Francisco Manzano, por Sandra Machado. 23 de novembro de 2015.

Deixe uma resposta

  • Juan Francisco Manzano, poeta na ilha de Cuba, foi a única pessoa escravizada latinoamericana a escrever uma autobiografia sobre sua experiência no cativeiro.

    A autobiografia do poeta-escravo, de Juan Francisco Manzano

    A autobiografia do poeta-escravo, de Juan Francisco Manzano. Edição, tradução, introdução e notas de Alex Castro. (SP: Hedra, 2015.) Impresso, ebook, áudiolivro.

    Autobiografía, de Juan Francisco Manzano

    Autobiografía, de Juan Francisco Manzano. Edición, introducción y notas de Alex Castro. (Matanzas: Ediciones Matanzas, 2015.)